quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Shakespeare

 
 

Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença

entre dar a mãos e acorrentar uma alma.

 

E você aprende que amar não significa apoiar-se,

e que companhia nem sempre significa segurança.

 

E começa aprender que beijos não significa contrato e presentes não são promessas.

E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante,

com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje,

porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos,

 e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

 

Depois de algum tempo você aprende que o sol queima, se ficar exposto por muito tempo.

E aprende que não importa o quanto você se importe,

 algumas pessoas simplesmente não se importam.

 

E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando,

e você precisa perdoá-la por isso.

 

Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

 

Descobre que se leva anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la,

e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida.

 

Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.

E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida.

E que bons amigos são a família, que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos que mudar de amigos, se compreendermos que amigos mudam,

percebe que seu velho amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada,

e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida,

 são tomadas de você muito depressa,

por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas,

pode ser a última vez que as vejamos.

 

Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós,

 mas nós somos responsáveis por nós mesmos.

 

Começa a aprender que não se deve comparar com os outros,

mas com o melhor que pode ser.

 

Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.

Aprende que não importa onde já chegou, mas aonde esta indo,

mas se você não sabe onde esta indo qualquer lugar serve.

 

Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão,

e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade,

pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

 

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer,

 enfrentando as conseqüências.

 

Aprende que paciência requer MUITA prática.

 

Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute,

 quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

 

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou.

 

Aprende que a mais de seus pais em você do que você suponha.

 

Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens,

poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

 

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva,

mas isso não te dará o direito de ser cruel.

 

Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame,

 não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode,

 pois existem pessoas que nos amam,

mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

 

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém,

algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.

 

Aprende que com a mesma severidade com que julga,

você será em algum momento condenado.

 

Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido,

o mundo não pára para que você o conserte.

 

Aprende que o tempo não é algo que possa voltar atrás.

Portanto, plante seu jardim e decore sua alma,

ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.

 

E você aprende que realmente pode suportar…

que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais.

 

E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!

 

Nossas dádivas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar.

(William Shakespeare)



Animacoes GRATUITAS para seu e-mail – do IncrediMail! Clique aqui!

domingo, 24 de janeiro de 2010

O Melhor de A. W. Tozer - Livro


"Penso que minha filosofia é esta: Tudo está errado até que Deus endireite as coisas." Esta declaração do Dr. A. W. Tozer resume perfeitamente a sua crença e o que ele tentou fazer durante seus anos de ministério. Todo o foco de sua pregação e tudo aquilo que escreveu concentrava-se em Deus. Não tinha tempo para mascates religiosos que inventavam novos meios de promover suas vendas e elevar suas estatísticas, Da mesma forma que Thoreau, autor por ele muito admirado, Tozer marchava ao som de um tambor diferente; e por esta razão, no geral achava-se fora de compasso com muitos dos participantes na parada religiosa. Mas o que nos fazia amá-lo e admirá-lo era justamente esta excentricidade evangélica. Ele não temia dizer-nos o que estava errado, nem vacilava em mostrar-nos como Deus poderia endireitar as coisas. Se um sermão pode ser comparado à luz, A. W. Tozer lançava então um raio laser do púlpito, um raio que penetrava o seu coração, queimava a sua consciência, expunha o pecado e fazia você gritar: "Que devo fazer para ser salvo?" A resposta vinha sempre igual: renda-se a Cristo; conheça pessoalmente a Deus; cresça para assemelhar-se a Ele. Aiden Wilson Tozer nasceu em Newburg (então conhecido como La Jose), Pensilvânia, a 21 de abril de 1897. Em 1912 a família mudou-se da fazenda de Akron, Ohio; e em 1915 ele converteu-se a Cristo, entrando imediatamente numa vida de grande intensidade devocional e testemunho pessoal. Em 1919 começou a pastorear a igreja da Aliança em Nutter Fort, em West Virgínia. Também serviu em igrejas nas cidades de Morgsntown, West Virginia; Toledo, Ohio; Indianapolis, Indiana; e em 1928 iniciou seutrabalho na igreja da Aliança em Chicago (Southside Alliance Church). Ali serviu até novembro de 1959, quando tornou-se pastor da igreja Avenue Road em Toronto. Um repentino ataque cardíaco a 12 de maio de 1963 pôs fim a esse ministério e Tozer foi introduzido na glória. Estou certo de que Tozer alcançou mais pessoas através de seus escritos do que de sua pregação. Grande parte do que escreveu foi refletido na pregação de pastores que alimentavam a alma dos seus fiéis com as palavras dele. Em maio de 1950, Tozer foi nomeado redator da revista "The Alliance Weekly", agora The Alliance Witness, talvez a única revista religiosa comprada principalmente pelos seus editoriais. Ouvi certa vez o Dr. Tozer, numa conferência na Associação da Imprensa Evangélica, criticando os editores que praticavam o que ele chamava de "jornalismo de supermercado — duas colunas de anúncios e um corredor de material de leitura". Ele era um escritor exigente e tão rigoroso consigo mesmo quanto com os demais. O que toma conta de nós e não nos deixa escapar mais nos trabalhos de Tozer? Ele não teve o privilégio de cursar uma universidade nem um seminário, ou sequer uma escola bíblica; todavia, deixou-nos uma estante de livros que será consultada até a volta do Senhor por aqueles que buscam crescer em espiritualidade. A. W. Tozer escrevia com convicção. Ele não tinha interesse em agradar os superficiais cristãos atenienses que estavam em busca de novidades. Tozer voltou a cavar os velhos poços e nos chamou de volta aos velhos caminhos, acreditando ardentemente nas verdades por ele ensinadas e pondo-as em prática. Certa vez disse a um amigo meu: "Consegui a antipatia de todos em toda plataforma a que subi neste país durante a realização de uma Conferência Bíblica!" O povo não corre para ouvir alguém cujas convicções tragam constrangimento. Tozer era um místico — um místico evangélico — numa era pragmática e materialista. Ele contínua a chamar-nos para observar aquele mundo da realidade espiritual que fica além do mundo físico que tanto nos seduz. Ele nos pede para agradar a Deus e ignorar a multidão, para adorar a Deus a fim de nos assemelharmos a Ele. Quão desesperadamente precisamos hoje dessa mensagem! A. W. Tozer tinha o dom de tomar uma verdade espiritual e colocá-la sob a luz, a fim de que, como um diamante, cada faceta fosse vista e admirada.



Ele não se perdia nos pântanos homiléticos; o vento do Espírito soprava e ossos mortos ganhavam vida. Seus ensaios são como delicados camafeus,cujo valor não é determinado pelo seu tamanho. Sua pregação caracterizava-se por uma intensidade espiritual que penetrava o coração,ajudando-o a ver Deus. Feliz o cristão que pode dispor de um livro de Tozer quando sua alma está sedenta e ele sente que Deus se distanciou. Isto leva àquela que julgo ser a maior contribuição que A. W. Tozer faz em seus escritos: ele o estimula tanto com relação à verdade, que você se esquece de Tozer e procura a sua Bíblia. Ele mesmo repetiu muitas vezes que o melhor livro é aquele que faz você desejar pô-lo de lado e pensar por si mesmo. É raro eu ler Tozer sem procurar meu caderno de notas e escrever nele alguma coisa que mais tarde possa ser transformada numa mensagem. Tozer é como um prisma que recolhe a luz e depois revela a sua beleza.

Selecionar o "melhor de A. W. Tozer" é uma tarefa impossível. Melhor para quem? Para que necessidades? Como pastor, eu escolheria cinquenta ensaios que iriam desafiar e abençoar o coração de meus irmãos no ministério, mas Tozer é lido por muitos que não exercem essa função. Por ser escritor, eu poderia escolher capítulos dos seus livros que revelam sua habilidade com as palavras; mas a maioria dos leitores não escreve livros. Aqueles dentre nós que apreciamos os escritos de Tozer certamente temos os nossos favoritos, mas tenho certeza de que não haveria dois que concordassem.

Dos livros de Tozer publicados pela Christian Publications de Harrisburg, Pensilvânia, fiz seleções com base no tema e seu desenvolvimento. O Dr. Tozer dizia com freqüência as mesmas coisas de modos diversos, e tentei escolher os temas principais em sua melhor expressão. Se um de seus ensaios favoritos estiver faltando, talvez você seja compensado lendo um outro que tenha perdido ou esquecido. Se este livro for a sua primeira introdução a A. W. Tozer, permita-me então sugerir a melhor maneira de ler seus ensaios. Você deve lê-los lentamente e com reflexão, meditando enquanto lê. À medida que lê, ouça o que Tozer chamava de "a outra Voz" falando a verdade através dessas breves mensagens. Se certa verdade se puser a queimar em seu coração, coloque o livro de lado e deixe que Deus o oriente. Aguarde em silêncio diante dEle e bem fundo em seu coração Deus lhe falará.


Fonte: Livro o Melhor de A.W Tozer - Ed Estação do Livro

O que significa ter um coração como o de Cristo?


O que significa ter um coração como o de Cristo? Significa ajoelhar-nos como Jesus se ajoelhou, tocar as partes mais sujas daqueles com quem estamos ligados e lavar com bondade sua grosseria. Ou, como Paulo escreveu: "Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo" (Ef 4:32, ACF). "Mas, Max", você dirá, "eu não fiz nada de mal. Eu é que fui enganado. Não fui eu quem mentiu. Eu não sou o culpado". Talvez não seja. Porém Jesus também não foi. De todos os homens naquele aposento, somente um era digno de que lhe lavassem os pés; e foi Ele quem lavou os pés dos outros. O que merecia que o servissem serviu. O genial do exemplo de Jesus é que o peso de estabelecer a ponte recai sobre o forte, não sobre o fraco. O inocente é quem deve fazer o gesto. Sabe o que acontece? Se o que tem razão se oferece voluntariamente para lavar os pés daquele que agiu errado, frequentemente ambos se ajoelham.


Relacionamentos são bem sucedidos não pela punição dos culpados, mas pela misericórdia dos inocentes.

Fonte: Simplesmente como Jesus - Max Lucado

Nós amamos


Você pode dizer: "Ah, eu nunca poderia fazer isso". "A ferida é muito profunda. As feridas são muito numerosas. "Só de ver essa pessoa eu fico irritado...". Talvez esse seja seu problema. Talvez você esteja olhando para a pessoa errada, ou pelo menos muito a pessoa errada. Lembre-se: o segredo de ser como Jesus é "fixar nossos olhos" nEle. Tente mudar seu olhar, afastando-o daquele que o feriu e fitando seus olhos nAquele que o salvou.




Nosso Salvador se ajoelha e vê os atos mais obscuros de nossas vidas. Mas em vez de retrair-se de horror, estende sua mão com bondade e diz: "Eu posso limpar você, se quiser". Da fonte de sua graça enche as mãos de sua misericórdia e lava nosso pecado. Mas isso não é tudo. Porque Ele vive em nós, você e eu podemos fazer o mesmo. Porque Ele nos perdoou, nós podemos perdoar os outros. Porque Ele tem um coração perdoador, nós podemos ter um coração que perdoa. Podemos ter um coração como o dEle.



Jesus lava nossos pés por duas razões. A primeira é nos dar misericórdia, a segunda é nos dar uma mensagem, e essa mensagem é: Jesus oferece graça incondicional; nós também devemos oferecer graça incondicional. A misericórdia de Cristo precede nossos erros; nossa misericórdia deve preceder as faltas de outros também. Os que estavam a volta de Cristo não tiveram dúvida de seu amor; os que estão a nossa volta também não deveriam ter nenhuma dúvida do nosso.


Fonte: Simplesmente como Jesus - Max Lucado





Ele nos ama


De todas as vezes em que vemos Jesus ajoelhar- se nenhuma é tão preciosa como aquela em que se ajoelhou diante de seus discípulos e lavou-lhes os pés. Nesse episódio, aquele que está com a toalha e a bacia é o Rei do universo. As mãos que formaram as estrelas agora lavam a sujeira. Os dedos que formaram as montanhas agora esfregam dedões. E aquele diante de quem todas as nações um dia se ajoelharão coloca-se de joelhos diante dos seus discípulos. Horas antes de sua própria morte a preocupação de Jesus é singular. Ele quer que seus discípulos saibam o quanto Ele os ama. Mais do que removendo a sujeira, Jesus está removendo a dúvida.


Fonte: Simplesmente como Jesus - Max Lucado

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

O Foco é o Criador


Quando você direciona os olhos para as coisas criadas por Deus você perde a visão do Criador. Aprenda a vencer sua pessoa sobre todas as ‘coisas’ por amor ao CRIADOR, e você vai ser capaz de obter o conhecimento de Deus.

Thomas A Kempis




segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Sobre o amor




“Deus é amor”, diz o apóstolo João. Quando tentei começar a escrever este livro pensei que seu axioma* iria fornecer-me um caminho plano através de todo o assunto. Estava certo de poder dizer que o amor humano só merecia ser assim chamado naquilo em que se assemelhava àquele Amor que é Deus. A primeira distinção que fiz foi portanto entre o que chamei de amor-Doação e amor-Necessidade. O exemplo típico do amor-Doação seria aquele que leva o homem a trabalhar, planejar e poupar para o futuro de sua família,cujo futuro ele não irá ver nem partilhar com ela; do segundo, aquele que empurra a criança solitária ou amedrontada para os braços da mãe.
[...]
[...] devemos ter cautela em dizer que o amor-Necessidade não passa de “simples egoísmo”. Simples é sempre uma palavra perigosa. Não há dúvida de que o amor-Necessidade, como todos os nossos impulsos, pode ser egoisticamente tolerado. Uma exigência tirânica e gulosa de afeição é às vezes algo terrível. Mas na vida comum ninguém chama de egoísta a criança que busca conforto na mãe; nem o adulto que procura “companhia” na pessoa de um amigo. Os que fazem isso em menor proporção, seja crianças ou adultos, não são geralmente os mais abnegados**. Onde o amor-Necessidade é sentido, pode haver razões para negá-lo ou mortificá-lo; mas não senti-lo é no geral a marca do egoísta frio. Desde que na verdade precisamos uns dos outros (“não é bom que o homem esteja só”), então o fato de este sentimento não surgir como amor-Necessidade no consciente (em outras palavras, o sentimento ilusório de que é bom para nós ficarmos sós) é um sintoma espiritual nega-tivo, da mesma forma que a falta de apetite é um sintoma médico negativo porque os homens precisam de alimento.
-------------------------------------------
*1 Princípio evidente, que não precisa ser demonstrado. 2 Máxima, sentença. 3 Norma admitida como princípio.
**1 Que, ou o que se sacrifica desinteressadamente por alguém ou alguma coisa. 2 Altruísta, desprendido.
"Continuo pensando que se tudo o que entendemos por amor é a ânsia de sermos amados, nossa condição é deplorável."
"Temos necessidade de outros no plano físico, emocional e intelectual; precisamos deles se devemos conhecer algo, até a nós mesmos."
Texto e citações de C.S Lewis em Os Quatro Amores.

Café da Manhã - 18 de janeiro de 2010




 O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei? Salmos 27.1


Ah! existe um abismo enorme entre o ser humano crer na palavra de Deus e aquilo que sente seu coração. Quantas coisas temos temido? Ouse listar algumas! Quem sabe nossa lista pode começar com enchente... e se eu perder a minha casa? Depois pode vir desemprego... não posso perder o emprego, e se eu perder? o que farei??? depois pode vir a morte de um ente querido.... fulano não pode morrer.... morrerei junto se isso vier a me acontecer...
Enfim amados, a nossa lista de medos pode ser bem mais longa do que imaginamos, basta apenas coragem para olhar quem na realidade somos, caneta e papel...
Leiamos novamente o verso: O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei? E agora vamos novamente nos perguntar! Depois de ler novamente, será que teremos coragem de responder? A quem temerei? a morte? a fome? a espada? a dor? NÃO !! NÃO !! Não temerei pois EU CREIO QUE O SENHOR É A MINHA LUZ E A MINHA SALVAÇÃO!!!! EU CREIO !

Amados... vamos vencer esse abismo entre crer e sentir.... EU CREIO E PRONTO !!!

Fiquem na graça!
é bom estar em casa sentada no sofá entre amigos tomando um café....
Julie de Pádua

Animacoes GRATUITAS para seu e-mail – do IncrediMail! Clique aqui!

Sobre C.S Lewis




Nascido na Irlanda em 1898, C. S. Lewis estudou no Malvern College durante um ano, recebendo a seguir uma educação ministrada por professores particulares. Ele formou-se em Oxford, tendo trabalhado como professor no Magdalen College de 1925 a 1954. Em 1954 tomou-se Catedrático de Literatura Medieval e Renascentista em Cambridge. Foi um conferencista famoso e popular, exercendo grande influência sobre seus alunos.
     C. S. Lewis conservou-se ateu por muitos anos, tendo descrito sua conversão no livro “Surprised by Joy”: “No Termo da Trindade de 1929 entreguei os pontos e admiti que Deus era Deus ... talvez o convertido mais desanimado e relutante de toda a Inglaterra.” Foi esta experiência que o ajudou a compreender não apenas a apatia mas também a resistência ativa por parte de certas pessoas em aceitarem a idéia de religião.
     Como escritor cristão, caracterizado pelo brilho e lógica excepcionais de sua mente e por seu estilo lúcido e vivo,ele foi incomparável. O Problema do Sofrimento, Cartas do Inferno, Cristianismo Autêntico, Os Quatro Amores e As Crônicas de Narnia são apenas alguns de seus trabalhos mais vendidos. Ele escreveu também livros excelentes para crianças e outros de ficção científica, além de muitas obras de crítica literária. Seus trabalhos são conhecidos por milhões de pessoas em todo o mundo através de traduções. C. S. Lewis morreu a 22 de novembro de 1963, em sua casa em Oxford, Inglaterra.


Fonte: livro Os Quatro Amores (C.S Lewis)

Yancey não tem respostas.






Yancey: Acabei de começar um livro sobre oração. Muitos cristãos que conheço — inclusive eu — têm dificuldades com a oração. Se isso é tão importante, por que é tão difícil? Se Deus sabe tudo, por que precisamos orar? O que dizer a respeito de orações não respondidas? Escrevo livros sobre assuntos para os quais não tenho resposta. Se tivesse as respostas, desanimaria em poucas semanas. Escrever é meu jeito de lutar com essas dúvidas. 


Fonte: Philip Yancey para a Revista Mundo Cristão – Edição 00

domingo, 17 de janeiro de 2010

formspring.me

Você acredita na sorte?

Acredito, pois minha sorte tem nome e se chama JESUS.

Ask me anything

formspring.me

Qual é a coisa mais bonita que alguém já fez para você?

Morrer. Alguém já morreu por mim. Jesus. E não se trata de religião e sim REALIDADE EU CREIO

Ask me anything

formspring.me

se você pudesse ser QUALQUER coisa, o que seria?

um livro. Culto, lindo e caro!

Ask me anything

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Fanatismo

Florbela Espanca

Minh’alma, de sonhar-te, anda perdida.
Meus olhos andam cegos de te ver!
Não és sequer razão do meu viver
Pois que tu és já toda a minha vida!
...

E, olhos postos em ti, digo de rastros:
«Ah! Podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: Princípio e Fim!...»
----------------------------------------
ao perder a ti, tu e eu perdemos
eu porque tu eras o que eu mais amava
e tu, porque eu era o que ti amava mais
contudo, de nós dois, tu perdestes mais do que eu
porque eu poderei amar outro como amava a ti
mas a ti não te amaram como te amava eu.
Ernesto Gardenal

Carta a um amigo.





Hoje não sou mais a pessoa que eu era antigamente, eu não tinha me atentado para isso... mas enfim, acho que a melancolia não me deu somente por olhar seu nome e lembrar do que eu e você eramos, e sim lembrar do que eu era e hoje não sou mais.... puxa, foi bom olhar por essa perspectiva... as coisas mudam mesmo e só o que nos resta são as lembranças.... 
Mas acho que é difícil a gente olhar e ver que ao longo da caminhada nós tanto perdemos coisas, pessoas, e também ganhamos... mas a vida é assim mesmo. 
Sabe, de certa forma eu tenho saudade de como as coisas eram antes... de como eu era... Óbvio que hoje tenho mais experiência, porém não vejo muito ganho com isso... 
Ah sei lá... Estou num momento complicado da minha vida, meus melhores amigos e amigas estão todos casados, namorando , e às vezes olho pra mim e me vejo tão só... completamente só.... tenho amigos sim, mas falta algo... não gosto de incomodar ninguém, afinal todos tem agora suas casas, seus esposos, suas esposas, seus filhos e eu não me sinto a vontade para tocar as costas e dizer: oi ! lembra de mim! sua velha amiga doidinha ainda tá aqui... sei lá sabe!
Eu de certa forma também queria estar nesse time.. mas não estou.... perdi o homem que amava e hoje não encontro ninguém a altura dele, que me olhe da forma que ele me olhava, e ouso dizer, que me amasse como ele me amou, por mais contraditórias que são as circunstâncias, infelizmente o frio da morte calou sua doce voz para sempre... e depois disso ainda me vi em uma situação que só me trouxe mais dor ainda.. 
Sei lá... tenho até pedido oração para algumas amigas via orkut porque a coisa tá preta, mas isso pra mim é humilhante... eu sempre fui alegre, maluca, você sabe né? e hoje se eu rio é para disfarçar meu coração que sangra... achei que conquistando uma profissão, ser professora, me faria uma pessoa melhor,mais adulta e feliz, mas não fez... o que me resta hoje é orar, mendigar atenção dos amigos, ler, escrever poesia para tentar por pra fora minha dor, e desabafar com velhos amigos... enfim... eu sempre tento fazer de tudo para amar e ajudar as pessoas.... mas hoje eu é que preciso disso.. se tenho encontrado isso eu não sei dizer, pois não recebo muitas ligações: e ai? tudo bem? tipo... mesmo que recebesse eu diria que sim tá tudo bem, porque hoje em dia as pessoas não sabem ler um olhar, interpretar um leve sumiço, ou um sorriso falso... hoje cada um quer saber de si, o resto... se der tempo... o resto... ah ! ela é adulta, sabe se virar.... 
poxa, esse mês eu completo 27 anos... não sou menina, não posso nem ser mulher... perdi a pureza de uma doce jovem em busca do amor .... é triste olhar para mim e ver que me dou por tão pouco... enfim.. é duro olhar para frente e ter que admitir ter fracassado.. sentir a dor da solidão... não queria estar passando por isso, mas estou, o porquê eu não sei... se é erro, castigo ou propósito... olhar para o lado e se questionar: que diferença tem entre eu e ela? nenhuma, mas então por quê? eu preciso me abrir, as pessoas precisam saber que os palhaços também sofrem, também choram. 
Hoje eu grito ao mundo minha dor, pois sei que minhas palavras resumem a dor de muitas pessoas e não só a minha. Hoje eu grito ao mundo minha dor, para que todos saibam que eu também tenho dores profundas. Hoje eu grito ao mundo minha dor, para que quando eu gritar a minha alegria, faça sentidos aos olhos de todos. Pois chegará esse dia, eu tenho certeza, pois eu sirvo e creio em um Deus tremendamente amoroso e cheio de misericórdia, e Ele com sua poderosa mão vai me erguer. 
Pessoas sofrem no mundo, pessoas sofrem no Haiti,, todos nós de uma forma ou outras ás vezes temos que andar entre os escombros... sejam eles de uma cidade devastada por um terremoto, ou seja pelas partes da alma que desfalecem de agonia e dor.
15.01.09