segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Isso é sério ! Seja honesto !

Mais de uma vez temos ouvido de pessoas que contam sua história com um riso nervoso e dizem: "Me alegro que Deus não fulmine os mentirosos com um raio ". Não estou certo de que não o faça. Acho que o salário do pecado ainda é a morte. Talvez não a morte do corpo, mas a morte de:
O matrimônio. Os pecados são cupim no tronco da árvore familiar.
A consciência. A tragédia é que é mais fácil dizer a segunda mentira do que foi a primeira.
Uma carreira. Pergunte ao estudante que foi expulso por trapacear ou ao funcionário que foi demitido por malversar fundos se a mentira não foi fatal.
A fé. A linguagem da fé e a linguagem da falsidade têm vocabulários diferentes. Os que falam com fluidez a linguagem da falsidade acham difíceis de pronunciar termos tais como confissão e arrependimento.
Poderíamos também fazer uma lista da morte da intimidade, a confiança, a paz, a credibilidade e o respeito próprio. Mas talvez a morte mais trágica que acontece pela mentira é a de nosso testemunho. O tribunal não dará atenção ao testemunho de um perjuro. Nem o mundo. Você acha que nossos colegas de trabalho acreditarão em nossas palavras sobre Cristo quando não podem acreditar no que dizemos em nosso relatório de prestação de contas de despesas? Mais significativo ainda: pensamos que Deus nos usará como testemunhas se não dissermos a verdade?

Max Lucado – Simplesmente como Jesus

Verdade ou Mentira ?

O fato simples e óbvio é que não gostamos da verdade. Nosso credo é: Conhecereis a verdade, e a verdade vos fará retorcer-vos no assento. A verdade, aprendemos cedo, não é divertida. Não gostamos da verdade. Não só não gostamos da verdade, mas não confiamos na verdade. Se formos brutalmente francos (o que é aconselhável ao falar em honestidade), deveremos admitir que a verdade parece inadequada para realizar o que é preciso. Queremos que nossos chefes gostem de nós, então os elogiamos quanto as qualidades que não possuem. Chamamos isso de bajulação. Deus chama de mentira. Queremos que as pessoas nos admirem, então exageramos ao falar dos nossos feitos. Chamamos a isso esticar a verdade. Deus chama de mentira. Queremos que as pessoas nos respeitem, então moramos em casas que não podemos pagar e compramos coisas a crédito que também não podemos pagar. Chamamos isso de maneira moderna de viver; Deus o chama de viver uma mentira.

Max Lucado – Simplesmente como Jesus

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Deus é uma pessoa

Deus é uma pessoa, e nas profundezas de Sua poderosa natureza Ele pensa, deseja, tem gozo, sente, ama, quer e sofre, como qualquer outra pessoa. Em seu relacionamento conosco, Ele se mantém fiel a esse padrão de comportamento da personalidade. Ele se comunica conosco por meio de nossa mente, vontade e emoções.

A.W TOZER